Dossiê Religiões e (contra)monumentos

Mais uma parceria entre o Coletivo ASA e o MARES:

Religião & Sociedade convida autores e autoras a submeterem artigos ao dossiê Religiões e (contra)monumentos. Confira a chamada:

O dossiê “Religiões e (contra)monumentos” se dedica a pensar os dilemas dos monumentos e contra-monumentos, sua presença e questionamento no espaço público, em intersecção com elementos do universo religioso. Historicamente, algumas religiões alcançaram a monumentalidade na paisagem, em contextos urbanísticos, arquitetônicos e a partir da escultura, com efeito na memória coletiva e na paisagem urbana, enquanto outras seguem tendo seus símbolos vilipendiados em ações iconoclastas, inclusive com o apoio do Estado. Há monumentos de teor religioso que se legitimaram como símbolos civis, para todos, enquanto outros dependem de ações contra-monumentais e de resistência para se fazer presente na vida pública. Mesmo fora das disputas religiosas, há processos de monumentalização que operam por meio de uma linguagem ritualizada, para consagrar um personagem, espaço ou marco particularmente relevante para certo coletivo. Nesse sentido, as formas laicas de consagração também ajudam a (re)pensar religiões e (contra)monumentos. “O culto moderno dos monumentos”, como denominou o historiador de arte Alois Riegl [1903], em um texto crítico para o estudo do patrimônio, referia-se a um procedimento secular, voltado a artefatos que tanto marcavam uma separação temporal com o presente quanto representavam valores defendidos no momento atual.

Tradicionalmente elaborados com a finalidade de demarcar espaços e memorializar figuras e acontecimentos históricos, os monumentos têm sido alvo de renovada atenção nos últimos anos, sendo derrubados, reerguidos, questionados e reinterpretados criticamente. Muitas das ações contra-monumentais recentes se vinculam a movimentos de caráter antirracista e decolonial, como no caso paradigmático do movimento Black Lives Matter (EUA e Inglaterra) e dos ataques a imagens de Bandeirantes (Brasil). Apesar da grande visibilidade alcançada pelas controvérsias públicas que esses casos geraram, ainda são poucas as publicações dedicadas às associações e tensões entre (contra)monumentos e símbolos, rituais e/ou agentes religiosos.

O dossiê visa a contribuir nesse debate, agregando artigos dedicados em analisar os usos políticos, materiais e estéticos de artefatos monumentais e processos de (de)monumentalização relacionados à religião. São bem-vindos estudos que pensem essas questões a partir de (contra)monumentos laicos ou religiosos, arquiteturas, imagens em diferentes mídias, logradouros, memoriais, documentos, iniciativas subalternas e contra estatais, intervenções de arte pública, performances, etc. considerando sua (i)materialidade em conexão com sentidos ou apropriações religiosas.

Organizadores:
Edilson Pereira, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Roberto Conduru, Southern Methodist University
Thais Waldman, Universidade de São Paulo

Data limite de envio: 01 de junho de 2023.

Share Button